Storytelling: a fórmula do sucesso de Hollywood a favor da sua comunicação

O conhecimento NÃO te faz Líder!
5 de março de 2020

 

Conheça o “superpoder” da comunicação para se reinventar no período de pandemia e despertar seu Herói interior

 

Você já se perguntou por que os filmes de Hollywood fazem tanto sucesso? Já ouviu falar em Storytelling?

Pense em exemplos clássicos: Star Wars, Harry Potter, os filmes de super heróis. “Ultimato”, último filme da saga dos Vingadores, quebrou recordes de bilheteria e faturamento. Não é preciso gostar desses filmes, mas é inegável que eles possuem algum “superpoder” que arrasta multidões para os cinemas no mundo todo.

Nesse artigo, vou revelar para você a “fórmula” do sucesso – o Storytelling –  e por que ela pode melhorar sua comunicação.  

Muitos profissionais relatam dificuldades com a crise desencadeada pelo Coronavírus, mas há caminhos para quem pensar fora da caixa.

Logo, que tal se reinventar nesse período de adaptação e transição?

Vamos lá?

 

Storytelling: o que é?


Do inglês, Storytelling significa:
Story: história
Telling: contar

Podemos dizer que Storytelling é a arte de contar histórias – mas não se trata de qualquer narrativa.

É uma técnica com passos definidos e estratégicos que busca sensibilizar, impactar e motivar as pessoas com uma mensagem transmitida por uma história memorável e bem contada, com personagens, conflito e ambiente.

Além disso, é muito utilizada como uma ferramenta eficaz de comunicação no Marketing, e para divulgar produtos e serviços por meio de uma conexão mais emocional com o outro. Dominar o Storytelling é um verdadeiro superpoder para quem souber usar essa técnica.

Fonte: Unsplash

O poder das histórias

Então você pergunta: mas Laila, porque contar histórias é uma boa estratégia de comunicação?

O fascínio por histórias acompanha a humanidade desde a pré-história, fato confirmado pela arqueologia – lembre-se das pinturas rupestres nas cavernas! Provavelmente nossos ancestrais sentavam ao redor de uma fogueira para dividir e compartilhar histórias.

Afinal, criar narrativas nos torna humanos e nos diferencia dos animais.

Hoje, isso não é diferente.

Podemos pensar em filmes e séries: você já vibrou com as personagens que se identificou, ou conseguia entender seus motivos, não é mesmo?

Já se sentiu sensibilizado por uma cena tocante? 

Histórias são poderosas formas de comunicação, pois emocionam, geram identificação e transmitem valores.

São mais efetivas por que explicar um assunto de forma técnica e apelar para os fatos é desinteressante, ou passa batido no mundo de hoje, em que há um excesso de informação na internet.

As histórias possuem um elemento lúdico, que as torna inesquecíveis. Uma história que marca nos acompanha a vida toda.

Pense em fábulas, exemplos bastante simples, mas que ajudam a entender bem a ideia.

A fábula do coelho e da tartaruga, por exemplo, ensina uma grande lição positiva: devagar se vai longe.

O desenho Pinóquio, da Disney, ensina sobre a importância de se evitar mentiras. E com certeza podemos pensar em mais mil exemplos. 

É por essas várias razões que os filmes hollywoodianos fazem sucesso. Por trás do roteiro, em geral há um modelo de Storytelling chamado de Jornada de Herói, que se baseia no “Monomito”, conceito do renomado estudioso Joseph Campbell

 

O Storytelling pode ser usado para criar apresentações incríveis que ficam na memória das pessoas!

Muitas empresas já usam essa poderosa ferramenta, e mesclam recursos audiovisuais para aumentar o poder de emocionar e se conectar com seu público. 

O Storytelling, portanto, consiste em aproveitar do poder das histórias para passar uma mensagem relevante e positiva para o público, e, de quebra, associar a marca com determinados valores.

Logo, é um Marketing mais humanizado. Vamos ver exemplos?

Veja essa campanha da Airbnb (está em inglês).

Esse vídeo, da Associação Brasileira de TV, é uma campanha de conscientização sobre o risco das assinaturas de TV pirata! Não é muito mais eficaz criar uma pequena narrativa do que um simples alerta?

É possível trabalhar apenas a comunicação escrita também. Um exemplo é a Jornada do Herói que escrevi uma Jornada do Herói para Sheila Galvão, uma grande parceira de longa data. Fiz a leitura no curso Diálogos de Poder, e foi um momento de muita surpresa e emoção para os participantes e, sem dúvida, um dos pontos altos do evento!

Ou seja, podemos adaptar e usar o Storytelling para diferentes objetivos:

  • campanhas publicitárias;
  • campanhas de conscientização da audiência;
  • estratégia para prender atenção e engajar o público em uma apresentação ou mesmo reuniões na empresa;
  • divulgação de serviços de profissionais liberais;
  • e muito mais!

Independente do objetivo em que o Storytelling será usado, é importante transmitir autenticidade e verdade.

Você pode usar fatos da sua vida para construir sua Jornada.

Porém, jamais invente ou exagere no drama da narrativa, pois uma consequência indesejável é a natural rejeição que temos à incoerência e falsidade!

Com autenticidade e criatividade, o céu é o limite para inventar formas de utilizar essa poderosa técnica! Um superpoder para fazer você voar alto!

Fonte: Unsplash

 

Modelo: 3 Passos simples para Storytelling

Se você nunca tinha ouvido falar dessa técnica, ou já conhecia, mas não sabia utilizar, veremos juntos um modelo padrão em três etapas. 

Primeiro, saiba que esse o Storytelling possui 4 elementos (indispensáveis para o modelo de 3 passos): 

  1. Mensagem: é a ideia que pode transformar a vida das pessoas;
  2. Herói: o protagonista que passa por uma jornada, enfrenta um conflito e sai transformado no final;
  3. Cenário: a ambientação facilitar a compreensão do leitor;
  4. Conflito: o problema que move a história e desafia o herói, motivando-o a passar pela jornada. Deve ser difícil e exigir uma transformação no herói, pois as pessoas não se identificam com problemas fáceis demais ou muito romantizados, por não enxergarem valor nisso.

Escolha qualquer filme de sucesso e você verá como esses elementos se organizam de forma coerente! Vamos usar um exemplo famoso: Star Wars, que esteve na mídia recentemente por conta do último filme que encerrou a saga.

Vamos explicar o passo a passo simples, que você pode utilizar:

A cena de abertura apresenta o conflito que move a história.
Fonte: Google


1) Apresentação 

É início da jornada. Aqui apresentamos os personagens em sua rotina, quebrada pela introdução de um conflito. 

Na trilogia original de Star Wars, a apresentação é uma cena famosa, muito eficaz para comunicar o roteiro: no espaço, uma nave minúscula é perseguida por uma gigantesca nave imperial – ou seja, percebemos imediatamente o conflito entre a frágil resistência e o poder avassalador do Império Galáctico.

Essa cena estabelece o universo e o enredo da saga, e permite que depois, o protagonista seja apresentado. Luke Skywalker, o herói, vive tranquilamente em seu planeta e então se vê no meio de uma guerra galáctica, que o leva a uma aventura pelo espaço.

 

2) Desenvolvimento

Após ser chamado pela aventura, o protagonista enfrenta diversos obstáculos e o conflitos que precisa superar. Lembre-se: é o conflito que desperta o interesse das pessoas. Todo mundo quer ver como os heróis vão se safar dos mais diversos perigos e problemas.

Muitas vezes, o herói recebe a ajuda de um “mestre” ou professor. Ao longo das aventuras e acontecimentos nessa etapa de desenvolvimento, o Herói se transforma e vai amadurecendo.

Continuando nosso exemplo, o jovem Luke viaja pelo espaço, luta contra inimigos e treina habilidades de Jedi, superando os obstáculos que surgem.

Na Jornada que escrevi, usei as dificuldades, desafios e superações para criar a parte do Desenvolvimento!

3) Encerramento

Nesta etapa ocorre o clímax representado pelo conflito final, que é superado pelo Herói. Após a vitória, ele retorna para a vida normal, mas transformado – e essa mudança passa uma mensagem para o público, que é impactado.

Em Star Wars, Luke enfrenta um último desafio: destruir a Estrela da Morte, uma estação espacial capaz de destruir um planeta. Após uma batalha difícil, os heróis vencem. Luke, então, se torna um dos líderes da Resistência para enfrentar o Império Galáctico nos filmes seguintes. 

Ou seja, no Encerramento é passada uma mensagem positiva de motivação. É nessa parte em que usamos o Storytelling para transmitir valores e a mensagem, que, obviamente, precisa ser relevante e inspiradora, evitando conteúdos irônicos e pessimistas.

Em Star Wars, vemos que os valores de liberdade e amizade vencem a tirania e a opressão! Não é a toa que essa é uma das sagas mais reverenciadas pelos fãs de cinema.

Concluindo

Vimos o que é Storytelling, porque é tão eficaz, seus elementos e um modelo de três etapas. Isso tudo sem esquecer de alguns exemplos para ilustrar.

O modelo de três etapas é simples e de fácil adaptação. Todavia, cada história ou Jornada possui seus detalhes específicos. São muitas as formas que você pode utilizar o Storytelling!

Use elementos da sua história de vida pessoal para encantar clientes e colegas de trabalho. Você pode criar uma jornada da sua história de vida, pois todos somos podemos ser heróis (falarei disso no meu próximo artigo).

Obviamente, nem sempre é fácil criar uma história.

Por exemplo, é preciso descobrir seu arquétipo e definir as etapas que servem para o seu objetivo. Será que você deseja construir uma comunicação mais efetiva na sua empresa?

Ou talvez quer apresentar o Storytelling como uma nova estratégia que pode ser adotada pelo time de marketing?

Na próxima semana, pensando em estratégias novas para o período de reinvenção que estamos vivendo, vou falar mais sobre Storytelling! Não perca!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *